POSTAGENS

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

QUAL O MELHOR DIA QUE LHE CONVÊM!

Estou dizendo: Ninguém poderá servir caviar em dias de gala e rotar pragas em dias quaisquer! Digo que não há tempos específicos que merecem mais atenções que os constituídos por trabalhos! O que somos hoje, deveríamos de o ser para todo o sempre, e não apenas voltados em tempos festeiros ou feriados!
A regra é preservar a boa naturalidade e o habitual de cada dia, não acobertados por máscaras ou felicitações provisórias, nas quais favorecem apenas um conjunto de datas selecionadas no calendário!
Temos que ser sensatos e naturais todos os dias, usando-nos de características próprias nos doadas desde o início de nossa existência! As datas festivas e os feriados, sejam de qualquer caráter exclusivo, foram criados para complementar os dias úteis, nos favorecendo direitos de regalias e entretenimentos saudáveis!
Assim, esses dias agendados não deveriam de estar sendo tratados com exclusividades, as quais, muitos, tem se entregado com ardor, fazendo graça, mostrando-se simpáticos e sendo solidários num único dia!
Sabemos que, na verdade, essas simpatias provisórias não passam de estratégias pessimistas, quando, seus praticantes, apresentam-se de forma contrária no dia posterior, sendo sugestivos a mudanças de temperamento e comportamento!
         Sejam cautelosos! Marcar datas e viver somente para elas nos torna simbólicos, tradicionalistas e irracionais, quando comparados à série seguida dos tempos preciosos que ainda teremos pela frente! Por isso, é sempre bom mantermos um mesmo padrão, uma mesma postura e uma só objetividade, seja ela negativa ou positiva, para mostrarmos que somos verdadeiros e não farsistas!
Devemos ser quem verdadeiramente somos, tanto nos dias de ontem, nos de hoje, quanto nos dias de amanhã! Não se é inteligente praticar coisas bondosas em tempos de regozijo e se metamorfosear um ou dois dias depois!
Datas simbólicas merecem destaque sim, desde que se prescreva a sua espontaneidade nas vinte quatro horas que se seguem em ordem crescente! A indicação de dias, meses e anos nos estabelecem tempos distantes, sabendo que, para alcançá-los, teremos que passar primeiramente pelos dias atuais!
Datas comemorativas como ano novo, carnaval, dia do trabalho, proclamação da república e outros inúmeros feriados são muito comuns no Brasil! No entanto, muita gente vem aproveitando-os para se esbaldarem nas suas orgias, bebedeiras, maledicências, demências e vontades aprisionadas, alegando serem, esses dias, propícios para esse tipo de atitudes radicais!
Assim também são as datas religiosas como Natal, semana Santa e páscoa, consideradas dignas de bondade, ao qual, tradicionalmente falando, são resguardadas, consideradas e espiritualizadas por pessoas de todo tipo. Isso é bom, desde que essa prática popular não venha mascarada num único dia, obrigando, aqueles vestidos de cordeiro, a voltarem às suas práticas de lobo.
 Sejamos sensatos: Não adianta sermos espirituosos em épocas festeiras e aplicarmos maldades nos dias subsequentes! Isso é muito louco! Além de que, usando essas práticas irrisórias sempre haverá controvérsias, disputas e contestações, não é mesmo?
As festividades nos são presenteadas para que saldemos nossos desejos e melhores momentos, livrando-nos da fadiga do quotidiano! Assim, não estrague esses momentos selecionados e os dias posteriores ao feriado! Tenha-os como ligas, correntes e retas, e não como curvas, vergões ou medidas de afastamento! Consideremos, pois, atitudes corretas e dignas de bons praticantes, não sendo-nos condizentes com a mentira e a maldade!  
Não soframos modificações egoístas, barganhando nosso jeito de ser e nossa natureza interior, pensando que, apresentando-nos de forma contrária num dia específico, seremos merecedores de grandes honras!
É-se inteligente não nos deixarmos envolver com o ato ridículo de falarmos manso, quando falamos só gritando; fazermos elogios, quando somos atrevidos; fazermos caridades, quando não somos misericordiosos! Assim, não sejamos bonzinhos em dias de graça e maldosos nos dias que se procedem ao outro!
         Alegremos, pois, com as épocas marcadas no calendário e também com as épocas que se fazem presentes entre nós! Além de que, não é um tempo de festa que qualificará nossa idoneidade, mas sim, a nossa maneira habitual de proceder no dia a dia!  
Façamos, então, com que nossos corações condizem com nossa maneira usual de ser, lembrando que comemorar significa agradecer; e agradecer nos intima a continuarmos aperfeiçoando um dia de cada vez!
Assim, pondo em prática essas regras, certamente ficará mais fácil mantermos vigilantes, mostrando uma identidade mais saudável, mais verdadeira e mais espontânea, estando-nos livres de falsidades e de possíveis contaminações!


                                                          Gláucia Cardoso