POSTAGENS

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

NÃO VALEMOS NADA ALÉM DE ERRES CIFRÕES CONSTITUÍDOS DE DÍGITOS E DE INFINITOS ZEROS!!

Venhamos saber que títulos de renda, ações em alta, letras de câmbio, pedras preciosas e dinheiros brutos, são preciosidades que atraem homens de todo mundo! Trata-se de uma descoberta de grande admiração pública, explorada por compulsivistas, materialistas e gananciosos!
Como uma simples folha de papel pode gerar tantas disputas, brigas, guerras e dissensões? Essa bendita moeda corrente tem preparado a terra para o grande choque, o grande confronto entre homens, mulheres e jovens decentes!
Assim, começa a peregrinação por robustas fortunas e luxúrias cambistas, proporcionadas por ouros, esmeraldas, pedras preciosas e erres cifrões! Nossas ganâncias não tem fim, cuja finalidade será sempre o de mudarmos o destino do mundo, de ruim pra pior!
Os homens já não têm mais paz, considerados, quase todos, mercenários do materialismo! Aliás, o que fazem, o fazem erroneamente, realizando confrontos em cima de numerários, moedas correntes e valores exorbitantes!
Ninguém consegue dissipar tão desesperada loucura, virando um grande problemão para a humanidade! Estamos vivenciando o avesso! O dinheiro está em alta, sendo o ouro levado mais em conta que a vida do irmão, ou os bens materiais indo além que as delícias dum mundo cristão paradisíaco!
A crença sumiu, estando as igrejas quase zeradas! Não digo “igrejas” quanto ao número de fieis nas instituições religiosas, porque, o que vimos, são templos lotados de gente se dizendo crentes ou cristãs! Sobretudo, refiro-me “igreja” aos verdadeiros Cristãos, adoradores de Cristo e praticantes da boa fé, as quais são louváveis, amáveis, dóceis e amigos de inimigos!
 São os que admitem que erram, sendo pecadores, imperfeitos e carnais como qualquer outro; mas que, devido ao seu grande amor pela Palavra Sagrada, se doam, se entregam e se humilham aos pés de Cristo! A estes, infelizmente, existe uma inferioridade muito alta em número e devoção!
Assim, levando em conta as coisas vistas hoje em dia, podemos concluir que a caça deixou de ser uma perseguição às bruxas, dando lugar a um confronto particular entre irmão com irmão, amigo com amigo, inimigo com inimigo, pai com filho e filho com mãe! Estamos envolvidos pela facção egoísta, ostentosa e insuportável! O dinheiro tem despejado até sua última gota venenosa, cuja doença tem se espalhado espantosamente pelo nosso Brasil! Quem sabe, até pelo mundo afora!
            Trata-se de uma peste causadora de muitos males, muitos prejuízos e grandes mortandades! Uma maldição que faz com que os homens fiquem mais desesperados, loucos e egoístas, aprisionados entre grades, blindagens e gaiolas! Uma ganância que se propala em dias, meses e anos, prometendo uma série de benefícios, como belas casas, bons carros, contas gorduchas, altos salários, além de um mundo de ostentações!
A hora está chegada, anunciando a sua voluptuosidade material e a sua lepra maldita! Estamos acercados por mistérios, pragas e parasitas que nos alimentam os sonhos de infinitas riquezas e besteiras!
Nem as crianças, abaixo de anos, são poupadas! Nem os jovens, mais estudiosos e modernos, são esquecidos! Nem os velhos, entendidos e experientes, são deixados de lados; estragando um povo preso a raízes e tradições!
Oh dinheiro maldito, que tem exercido influência nefasta, animalesca e negativa entre as pessoas! Que faz com que o irmão machuque seu irmão, que os filhos percam o respeito para com seus pais, que o vizinho se aborreça com nossas simples práticas!
Oh dinheiro cruel, sujo e arteiro, que tira o que está em casa alheia levando-o em cativeiro; que vem subtraindo os valores de um bom cristão; que tem ignorado o humilde, o sensato e o justo! Até quando limitaremos à sua má administração?
Será que esse sentimento de grande proporção egoísta e materialista, realmente possa tornarmos mais felizes do que já somos não tendo nada? Assim duvido! De antemão, posso concluir que não podemos calar diante de tanta hostilidade, calamidade e maldade!
Oh versados em finanças e ostentações! Será que podemos acreditar num futuro melhor, sem problemas, disputas e guerras, nos conscientizando dos malefícios que o dinheiro nos traz? Será que realmente não dependemos desse maldito objeto de apreciações para sermos bem sucedidos na vida?
Assim, devo calar-me ou continuar me queixando de sua ilegitimidade, inutilidade e desvalor, sabendo que, até o que escrevo nessas entrelinhas me serão cobrados os tils, os acentos e os pontos finais?
Acreditem! Não vivo de ideologias e nem de convicções precedentes! Além de que, não vivemos de teorias ou de coisas inverossímeis, porque o que vemos, o vemos a olho nu!
Digo que não são as ideias, cálculos ou previsões que caracterizam pensamentos audazes; mas, tão somente, a certeza de que não valemos nada além de erres cifrões constituídos de dígitos e de infinitos zeros!


                                                            Gláucia Cardoso