POSTAGENS

quinta-feira, 18 de julho de 2013

AMOR CARDÍACO



"O amor não transcende de filósofos, mas de cardiologistas! 

No momento de êxtase a poesia se explana, mas o coração se aprisiona! As palavras suavizam, mas as palpitações descompassam! As vozes melodramatizam, mas os batimentos desregulam! As mãos se tocam, mas as pulsações se multiplicam! as bocas se juntam, mas as temperaturas se transcendem!  Clinicamente falando, o amor deixa, quem quer que o sinta, tão bobo e com sintomas clássicos de uma arritmia cardíaca!" 
                                                                   Gláucia Cardoso