POSTAGENS

segunda-feira, 20 de maio de 2013

SER JOVEM OU SER VELHO: EIS A QUESTÃO!!

O transcorrido tempo que existiu outrora, pela sucedida época que se faz agora, são sinônimos autentissíssimos, ligados pelo momento histórico e único. Nota-se um equivocamento entre o que é "novo" e o que se faz "antiquado", levantando questões desnecessárias e absurdas, como se isso fosse de menor importância! Mas não é! Podemos dizer que são coisas oriundas da naturalidade, transições originárias dos tempos prescritos, pelas quais todos nós passaremos! As épocas estabelecidas "existem", "existiram" e "existirão" como formas de renovos ou períodos de transformações, relações, equilíbrios e desenvolvimentos. Todos nós nos incluiremos nisso! O chamado "hoje" sempre se fará necessário, no intuito de alavancar o tempo futuro, sendo exclusivamente único, insubstituível e singular! Afinal, não podemos desandar nossos cronômetros! Os anciões representam aquilo que os jovens se tornarão no futuro: práticos, sabidos e experientes! Além de que, tudo é passageiro e corre muito! Não há nada o que mudar e nem nada o que fazer! Ao longo do caminho cultivamos dons, esnobamos paciência, doamos sabedoria e nos esforçamos, tornando-nos escravos dos tempos verbais! Essa é a verdadeira prática, sabedoria e magia da vida! O ser "jovem" não excluirá o efeito futuro de envelhecimento, tornando-o desusado também. Somos originados duma mesma carnalidade, num processo natural da criação Divina! Nascemos para crescer, propagar e produzir frutos, num desenvolvimento gradual e ininterrupto! Nos metamorfoseamos ao longo das instâncias, sem nunca nos isentarmos disso! O nosso caminho tornou-se um largo aberto, um local onde se passa ou se transita, numa forma obediente de trocas e transformações! Por isso, não se ensoberbeça na sua vaidade, jovialidade e futilidade egoísta! Lembrem-se que somos alteráveis, sendo partes do antes, do agora e do depois!  
Fomos crianças, nos achamos adultos e nos tornaremos antigos também! Nossa pele, que hoje se faz rosada e macia, se tornará menos espessa, seca e enrugada. Nossos cabelos, jeitosíssimos e arranjados, se tornarão minguados, calvos ou esbranquecidos. Nossa audição, que se faz fenomenalmente alerta, se tornará encolhida, falha e redutiva. Nossa voz, tão bem disposta, autêntica e atrevida, se tornará frágil, murcha e desentonada! Mas, e dai? Por acaso, essas mudanças poderão nos descaracterizar? Claro que não!! Afinal, não é a toa que existem jovens de oitenta anos e velhos de vinte e dois! É claro que sempre existirão diferenças físicas e opiniões contrárias! As vontades poderão sim mudarem de forma! Os lugares, por exemplo, poderão passar a ser outros, bem mais calmos, descomplicados e menos arriscados do que os de antes! As músicas torna-se-ão macias, serenas e expressivas harmoniosamente, contrariando os passos frenéticos da mocidade! Qual é o problema disso? Tudo gera transições, fases e proveitos, desde que essas exceções não virem regras absurdas ou comparações! Sugiro jovem, que, no presente momento, viva a sua ousadia jovial com harmonia, tendo conhecimento exato das normas de respeito e educação para com os mais velhos! Tudo é passageiro, sabendo que diariamente sofremos mutações! Assim, jovem e velho, cultivemos um dia de cada dia, valorizando às transformações, às condições físicas e às transições psicológicas que, naturalmente, sobrevirão à toda existência humana!! DÊ UM BASTA NA REJEIÇÃO, VALORIZANDO MAIS O SER HUMANO!!                          
                                                                                             Gláucia Cardoso