POSTAGENS

segunda-feira, 13 de maio de 2013

AMOR DISCRICIONÁRIO!!

"Amor perdido, inimaginário, louco, alienado e indiscutivelmente mágico! É assim o termo discricionário! Não se há aborrecimento algum, nem argumentos, nem discriminalidades, nem prescrições e nem praxes, no seu refratário de cores, luzes e entonações variadas! Eta sentimento mais belo, mais apaixonado, mais amplo, mais legítimo, mais sólido e mais profundo! O coração e as artérias se agigantam, assediam e se agitam, com movimentos ligeiros e involuntários! A poesia cresce, entrelaça-se e torna-se dinâmica! Na sua simbologia, o amor não é uma coletânea, nem um ingresso, nem uma especiaria, nem um ingrediente, nem uma droga e nem um alucinógeno! É a lembrança daquilo que se viu a pouco tempo; é a metade que se consegue de outras metades; é o melhor aroma que se consegue das flores; é a cura física, moral e psicológica; é coisa extraordinária, fantástica, exclusiva, intensa e prazerosa! Num simples descuido, inicia-se um entrelace de mãos; depois, fatalmente surgi o beijo! Daí, o corpo assedia-se, entrega-se e sofre evoluções. As pernas decorrem-se sucessivamente, tornando-se bárbaras, quânticas e ligeiras. A voz se faz trancada, baixa e estremecidíssma! Os braços aderem-se às asas de uma pluma! Os olhos escandalizam-se, eletrocutados pelas radiações! A voz se prende ante lábios trêmulos! O suor castiga no seu humor aquoso! É isto ai! O amor é tudo isso e mais um pouco, indo além do romantismo, da leveza d'alma e da paixão estremecedora!!! Amar é tragar o efeito de sentir, reconhecer, considerar, preencher e levitar, experimentando mudanças, alterações físicas, trocas espontâneas e um mundo de delícias!!"
                                                                                          Gláucia Cardoso