POSTAGENS

segunda-feira, 22 de julho de 2013

HÁ ESPERANÇA PARA OS DESESPERANÇADOS!

"O que mais afeta, corrompe ou danifica a qualidade do homem não são os estragos causados pelas catástrofes, violências, abusos de forças, tiranias, opressões ou modernices; mas, tão somente, a falta de esperança! Uma vez dita, a desesperança causa irritação, desânimo, desassossego, ira, descontrole e falta de paz! Também confunde atitudes, corrompe bons hábitos, bloqueia dons, distorce condutas, causa repúdios e aumenta aflições! Uma pessoa sem esperança enxerga o mundo em preto e branco, é pessimista, e muitas vezes, visa suas próprias dores! A depressão é o primeiro sintoma, dos vários que se apresentam ao longo do caminho, como solidão, tristezas e apertos no peito! Sorriem sem motivação alguma, levados por suas dessecações espirituais e suas muitas regras! Lutam em prol do nada, da superficialidade, do comodismo, da incredulidade e do fanatismo! São ocas, grosseiras, secas, vãs e incompletas, sentindo-se desesperançadas a respeito do futuro e de seus objetivos pessoais! Para elas, o mundo não presta e a vida não tem valor algum, sendo tudo feito por acaso e em vão, não vendo vantagem nenhuma de continuar lutando por coisas que ficarão do mesmo jeito! 
Em meio a tudo isso, podemos concluir que se há esperança para os desesperançados! No entanto, essa luta tenderá a ser diária, cabendo-nos desenvolver, adestrar e praticar o exercício da confiança! Um grande esforço se fará necessário, para que o enfraquecimento d'alma não cause oscilações e pertubações utópicas, fazendo-nos voltar para o vômito! Lembrem-se que a vida é passageira e única, devendo nós de aproveitá-la de maneira clara, simples e motivada! Tirem os olhos da negatividade e da falta de crença! Tenham satisfações plenas e disposições espirituosas! Sejam qualificados, otimistas e dinâmicos! Reavivem a confiança e estejem firme no porvir, cuidando benevolentemente de si mesmos; para que, quando completarem suas jornadas aqui na terra, possam ter representado bem àquilo que se entregaram com ardor, tornando-se útil para os que ainda vivem enfraquecidos e desesperançados nesse mundo!"                                                                                                   Gláucia Cardoso